Rotas Estáticas
Rotas Estáticas

Rotas Estáticas

[note note_color=”#21ab5136″ text_color=”#2c2c2d” radius=”3″ class=”” id=””]Bem-vindo: este tópico faz parte do Capítulo 15 do curso Cisco CCNA 2, para um melhor acompanhamento do curso você pode ir para a seção CCNA 2 para orientá-lo durante um pedido.[/note]

Tipos de rotas estáticas

Rotas estáticas são comumente implementadas em uma rede. Isso é verdadeiro mesmo quando há um protocolo de roteamento dinâmico configurado. Por exemplo, uma organização pode configurar uma rota estática padrão para o provedor de serviços e anunciar essa rota para outros roteadores corporativos usando o protocolo de roteamento dinâmico.

As rotas estáticas podem ser configuradas para IPv4 e IPv6. Ambos os protocolos suportam os seguintes tipos de rotas estáticas:

  • Rota estática padrão
  • Rota estática padrão
  • Rota estática flutuante
  • Rota estática resumida

As rotas estáticas são configuradas usando os comandos de configuração global ip route e ipv6 route.

Opções de próximo salto

Ao configurar uma rota estática, o próximo salto pode ser identificado por um endereço IP, interface de saída ou ambos. A forma como o destino é especificado cria um dos três seguintes tipos de rota estática:

  • Rota do próximo salto – Apenas o endereço IP do próximo salto é especificado
  • Rota estática conectada diretamente – Apenas a interface de saída do roteador é especificada
  • Rota estática totalmente especificada – O endereço IP do próximo salto e a interface de saída são especificados

Comando de rota estática IPv4

As rotas estáticas IPv4 são configuradas usando o seguinte comando de configuração global:

Router(config)# ip route network-address subnet-mask { ip-address | exit-intf [ip-address]} [distance]

Nota: Os parâmetros ip-address, exit-intf ou ip-address e exit-intf devem ser configurados.

A tabela descreve os parâmetros do comando ip route.

ParâmetroDescrição
network-addressIdentifica o endereço de rede IPv4 de destino da rede remota para adicionar à tabela de roteamento.
subnet-maskIdentifica a máscara de sub-rede da rede remota. A máscara de sub-rede pode ser modificada para resumir um grupo de redes e criar uma rota estática de resumo.
ip-addressIdentifica o endereço IPv4 do roteador de próximo salto. Normalmente usado com redes de transmissão (ou seja, Ethernet). Pode criar uma rota estática recursiva em que o roteador realiza uma pesquisa adicional para encontrar a interface de saída.
exit-intfIdentifica a interface de saída para encaminhar pacotes. Cria uma rota estática conectada diretamente. Usada normalmente em uma configuração ponto a ponto.
exit-intf ip-addressCria uma rota estática totalmente especificada porque especifica a interface de saída e o endereço IPv4 do próximo salto.
distanceComando opcional que pode ser usado para atribuir um valor de distância administrativa entre 1 e 255. Normalmente usado para configurar uma rota estática flutuante, definindo uma distância administrativa que é maior do que uma rota aprendida dinamicamente.

Comando de rota estática IPv6

As rotas estáticas IPv6 são configuradas usando o seguinte comando de configuração global:

Router(config)# ipv6 route ipv6-prefix/prefix-length {ipv6-address | exit-intf [ipv6-address]} [distance]

A maioria dos parâmetros é idêntica à versão IPv4 do comando.

A tabela mostra os vários parâmetros do comando ipv6 route e suas descrições.

ParâmetroDescrição
ipv6-prefixIdentifica o endereço de rede IPv6 de destino da rede remota para adicionar à tabela de roteamento.
/prefix-lengthIdentifica o comprimento do prefixo da rede remota.
ipv6-addressIdentifica o endereço IPv6 do roteador de próximo salto. Normalmente usado com redes de transmissão (ou seja, Ethernet) Pode criar uma rota estática recursiva em que o roteador realiza uma pesquisa adicional para encontrar a interface de saída.
exit-intfIdentifica a interface de saída para encaminhar pacotes. Cria uma rota estática conectada diretamente. Usada normalmente em uma configuração ponto a ponto.
exit-intf ipv6-addressCria uma rota estática totalmente especificada porque especifica a interface de saída e o endereço IPv6 do próximo salto.
distanceComando opcional que pode ser usado para atribuir um valor de distância administrativa entre 1 e 255. Normalmente usado para configurar uma rota estática flutuante, definindo uma distância administrativa que é maior do que uma rota aprendida dinamicamente.

Nota: O comando de configuração global ipv6 unicast-routing deve ser configurado para permitir que o roteador encaminhe pacotes IPv6.

Topologia Dual Stack

A figura mostra uma topologia de rede de pilha dupla. Atualmente, nenhuma rota estática está configurada para IPv4 ou IPv6.

Topologia Dual Stack

Tabelas de roteamento inicial de IPv4

Clique em cada botão para ver a tabela de roteamento IPv4 de cada roteador e os resultados do ping. Observe que cada roteador possui entradas apenas para redes diretamente conectadas e endereços locais associados.

R1# show ip route | begin Gateway
Gateway of last resort is not set
      172.16.0.0/16 is variably subnetted, 4 subnets, 2 masks
C        172.16.2.0/24 is directly connected, Serial0/1/0
L        172.16.2.1/32 is directly connected, Serial0/1/0
C        172.16.3.0/24 is directly connected, GigabitEthernet0/0/0
L        172.16.3.1/32 is directly connected, GigabitEthernet0/0/0
R1#
R2# show ip route | begin Gateway
Gateway of last resort is not set
      172.16.0.0/16 is variably subnetted, 4 subnets, 2 masks
C        172.16.1.0/24 is directly connected, GigabitEthernet0/0/0
L        172.16.1.1/32 is directly connected, GigabitEthernet0/0/0
C        172.16.2.0/24 is directly connected, Serial0/1/0
L        172.16.2.2/32 is directly connected, Serial0/1/0
      192.168.1.0/24 is variably subnetted, 2 subnets, 2 masks
C        192.168.1.0/24 is directly connected, Serial0/1/1
L        192.168.1.2/32 is directly connected, Serial0/1/1
R2#
R3# show ip route | begin Gateway
Gateway of last resort is not set
      192.168.1.0/24 is variably subnetted, 2 subnets, 2 masks
C        192.168.1.0/24 is directly connected, Serial0/1/1
L        192.168.1.1/32 is directly connected, Serial0/1/1
      192.168.2.0/24 is variably subnetted, 2 subnets, 2 masks
C        192.168.2.0/24 is directly connected, GigabitEthernet0/0/0
L        192.168.2.1/32 is directly connected, GigabitEthernet0/0/0
R3#

Nenhum dos roteadores tem conhecimento de qualquer rede além das interfaces diretamente conectadas. Isso significa que cada roteador só pode alcançar redes conectadas diretamente, conforme demonstrado nos testes de ping a seguir.

Um ping de R1 para a interface serial 0/1/0 de R2 deve ser bem-sucedido porque é uma rede conectada diretamente.

R1# ping 172.16.2.2
Type escape sequence to abort.
Sending 5, 100-byte ICMP Echos to 172.16.2.2, timeout is 2 seconds:
!!!!!

No entanto, um ping de R1 para a LAN R3 deve falhar porque R1 não tem uma entrada em sua tabela de roteamento para a rede LAN R3.

R1# ping 192.168.2.1
Type escape sequence to abort.
Sending 5, 100-byte ICMP Echos to 192.168.2.1, timeout is 2 seconds:
.....
Success rate is 0 percent (0/5)

Tabelas de roteamento inicial de IPv6

R1# show ipv6 route | begin C
C   2001:DB8:ACAD:2::/64 [0/0]
     via Serial0/1/0, directly connected
L   2001:DB8:ACAD:2::1/128 [0/0]
     via Serial0/1/0, receive
C   2001:DB8:ACAD:3::/64 [0/0]
     via GigabitEthernet0/0/0, directly connected
L   2001:DB8:ACAD:3::1/128 [0/0]
     via GigabitEthernet0/0/0, receive
L   FF00::/8 [0/0]
     via Null0, receive
R1#
R2# show ipv6 route | begin C 
C   2001:DB8:ACAD:1::/64 [0/0]
     via GigabitEthernet0/0/0, directly connected
L   2001:DB8:ACAD:1::1/128 [0/0]
     via GigabitEthernet0/0/0, receive
C   2001:DB8:ACAD:2::/64 [0/0]
     via Serial0/1/0, directly connected
L   2001:DB8:ACAD:2::2/128 [0/0]
     via Serial0/1/0, receive
C   2001:DB8:CAFE:1::/64 [0/0]
     via Serial0/1/1, directly connected
L   2001:DB8:CAFE:1::2/128 [0/0]
     via Serial0/1/1, receive
L   FF00::/8 [0/0]
     via Null0, receive
R2#
R3# show ipv6 route | begin C 
C   2001:DB8:CAFE:1::/64 [0/0]
     via Serial0/1/1, directly connected
L   2001:DB8:CAFE:1::1/128 [0/0]
     via Serial0/1/1, receive
C   2001:DB8:CAFE:2::/64 [0/0]
     via GigabitEthernet0/0/0, directly connected
L   2001:DB8:CAFE:2::1/128 [0/0]
     via GigabitEthernet0/0/0, receive
L   FF00::/8 [0/0]
     via Null0, receive
R3#

Nenhum dos roteadores tem conhecimento de qualquer rede além das interfaces diretamente conectadas.

Um ping de R1 para a interface serial 0/1/0 em R2 deve ser bem-sucedido.

R1# ping 2001:db8:acad:2::2
Type escape sequence to abort.
Sending 5, 100-byte ICMP Echos to 2001:DB8:ACAD:2::2, timeout is 2 seconds:
!!!!!
Success rate is 100 percent (5/5), round-trip min/avg/max = 2/2/3 ms

No entanto, um ping para a LAN R3 não foi bem-sucedido. Isso ocorre porque R1 não tem uma entrada em sua tabela de roteamento para essa rede.

R1# ping 2001:DB8:cafe:2::1
Type escape sequence to abort.
Sending 5, 100-byte ICMP Echos to 2001:DB8:CAFE:2::1, timeout is 2 seconds:
% No valid route for destination
Success rate is 0 percent (0/1)

Pronto para ir! Continue visitando nosso blog do curso de networking, confira todo o conteúdo do CCNA 3 aqui; e você encontrará mais ferramentas e conceitos que o tornarão um profissional de rede.

CCNA: Introdução às RedesCurso