Problemas IPv4
Problemas IPv4

Problemas IPv4

Necessidade de IPv6

Você já sabe que o IPv4 está ficando sem endereços. É por isso que você precisa aprender sobre IPv6.

O IPv6 foi projetado para ser o sucessor do IPv4. O IPv6 tem um espaço de endereço maior de 128 bits, fornecendo 340 undecilhões (ou seja, 340 seguidos por 36 zeros) de endereços possíveis. No entanto, o IPv6 é mais do que apenas endereços maiores.

Quando a IETF começou a desenvolver um sucessor do IPv4, ela aproveitou a oportunidade para corrigir as limitações do IPv4 e incluir melhorias. Um exemplo é o Internet Control Message Protocol versão 6 (ICMPv6), que inclui resolução de endereço e autoconfiguração de endereço não encontrada no ICMP para IPv4 (ICMPv4).

O esgotamento do espaço de endereços IPv4 tem sido o fator motivador para a mudança para o IPv6. À medida que a África, a Ásia e outras áreas do mundo se tornam mais conectadas à Internet, não há endereços IPv4 suficientes para acomodar esse crescimento. Conforme mostrado na figura, quatro dos cinco RIRs ficaram sem endereços IPv4.

Datas de esgotamento de RIR IPv4

Datas de esgotamento de RIR IPv4

O IPv4 tem um máximo teórico de 4,3 bilhões de endereços. Os endereços privados em combinação com o Network Address Translation (NAT) têm sido fundamentais para retardar o esgotamento do espaço de endereço IPv4. No entanto, o NAT é problemático para muitos aplicativos, cria latência e tem limitações que impedem severamente as comunicações ponto a ponto.

Com o número cada vez maior de dispositivos móveis, os provedores de serviços móveis têm liderado o caminho com a transição para o IPv6. Os dois principais provedores de serviços móveis dos Estados Unidos relatam que mais de 90% de seu tráfego é feito em IPv6.

A maioria dos principais ISPs e provedores de conteúdo, como YouTube, Facebook e NetFlix, também fizeram a transição. Muitas empresas como Microsoft, Facebook e LinkedIn estão fazendo a transição para IPv6 apenas internamente. Em 2018, o ISP Comcast de banda larga relatou uma implantação de mais de 65% e a British Sky Broadcasting mais de 86%.

Internet das Coisas

A Internet de hoje é significativamente diferente da Internet das últimas décadas. A Internet de hoje é mais do que e-mail, páginas da web e transferência de arquivos entre computadores. A evolução da Internet está se tornando uma Internet das Coisas (IoT). Os únicos dispositivos com acesso à internet não serão mais os computadores, tablets e smartphones. Os dispositivos equipados com sensores e prontos para a Internet de amanhã incluirão tudo, desde automóveis e dispositivos biomédicos a eletrodomésticos e ecossistemas naturais.

Com uma população crescente de Internet, um espaço de endereço IPv4 limitado, problemas com NAT e IoT, chegou a hora de começar a transição para IPv6.

Coexistência de IPv4 e IPv6

Não há uma data específica para mudar para o IPv6. Tanto o IPv4 quanto o IPv6 coexistirão em um futuro próximo e a transição levará vários anos. O IETF criou vários protocolos e ferramentas para ajudar os administradores de rede a migrar suas redes para IPv6. As técnicas de migração podem ser divididas em três categorias:

Clique em cada botão para obter mais informações.

A pilha dupla permite que IPv4 e IPv6 coexistam no mesmo segmento de rede. Os dispositivos de pilha dupla executam pilhas de protocolo IPv4 e IPv6 simultaneamente. Conhecido como IPv6 nativo, isso significa que a rede do cliente tem uma conexão IPv6 com seu ISP e pode acessar o conteúdo encontrado na Internet através do IPv6.

Pilha dupla

O encapsulamento é um método de transporte de um pacote IPv6 em uma rede IPv4. O pacote IPv6 é encapsulado dentro de um pacote IPv4, semelhante a outros tipos de dados.

Tunelamento

O Network Address Translation 64 (NAT64) permite que dispositivos habilitados para IPv6 se comuniquem com dispositivos habilitados para IPv4 usando uma técnica de tradução semelhante ao NAT para IPv4. Um pacote IPv6 é traduzido para um pacote IPv4 e um pacote IPv4 é traduzido para um pacote IPv6.

Tradução

Nota: O encapsulamento e a tradução são para fazer a transição para o IPv6 nativo e só devem ser usados quando necessário. O objetivo deve ser a comunicação IPv6 nativa da origem ao destino.

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios marcados com *

Aplicação CCNA Dump já disponívelApp Store